domingo, 13 de julho de 2014

O BUSTO DO ENGENHEIRO LIX DA CUNHA






Lix da Cunha nasceu em Mogi-Mirim , em 9 de abril de 1896.

Realizou o curso primário no 2˚ Grupo escolar de Campinas e o curso ginasial no Colégio Culto à Ciência, em 1909. Posteriormente, passou vários anos nos Estados Unidos, estudando em lugares como a Randolph Macon Academy, em Bedford, Virgínia, de março a dezembro de 1913, e no Rose Polytechnic Institute, em Terre Haute, de 1914 a 1918, em Indiana.

Trabalhou nos EUA de 1918 a 1919, como engenheiro e voltou para o Brasil no final deste ano, quando entrou para a Rede de Viação Sul Mineira, com sede em Barra do Piraí, como engenheiro residente.

 

Entrou em fevereiro de 1920 para o Departamento de Engenharia da Standard Oil Company of Brasil.



 


Em 1921, aceitou o cargo de Inspetor Geral da Companhia de Melhoramentos de Monte Alto, em São Paulo, voltando em setembro de 1921 a Standard Oil no mesmo cargo anterior, com sede no Rio de Janeiro.


Em 1922, passou a exercer o cargo de engenheiro da linha e edifícios na São Paulo Railway Company, em São Paulo.



 

Em novembro de 1924, passou a trabalhar na organização Gouvêa & Cunha com seu colega, o engenheiro Antônio Dias de Gouvêa. Dissolvida a firma em 1936, Lix da Cunha continuou a trabalhar com um escritório de Engenharia e Arquitetura, em Campinas.

 
Em 1935, foi o inaugurado o primeiro arranha-céu de Campinas, o Edifício Sant`Anna (que abriga o Hotel Opala Barão), na esquina das ruas Barão de Jaguara e César Bierrenbach, construindo pela construtora Gouvêa & Cunha.

 
 


 
Em maio de 1948, ele fundou a Construtora Lix da Cunha S/A e em junho de 1960, incorporou a firma de pavimentação asfáltica Orlando Costa & Cia. Ltda, com a denominação de Construtora e Pavimentação Lix da Cunha S/A. Já em 1968 fundou a Concrelix S/A – Engenharia de Concreto, firma especialista em concreto usinado.

 
O engenheiro Lix da Cunha nos anos seguintes também fundou a Pedralix e a Lix Empreendimentos Adm. de Negócios S/C Ltda.

 

 


Recebeu em junho de 1961, da Câmara Municipal de Campinas o título de Cidadão Campineiro e em 1968, por ocasião quede o seu Jubileu de Ouro de formatura, na Rose Politechnic Institute, recebeu o título de “Doutor em Engenharia”, título concedido até aquela data somente a 32 ex-alunos durante os 97 anos de existência da escola, sendo ele, Lix da Cunha, o único estrangeiro até a data a receber o título.








O engenheiro Lix da Cunha foi autor de projetos que se tornaram autênticos patrimônios arquitetônicos da cidade de Campinas, como a Casa da Saúde, o Palácio de Justiça, a sede da Academia Campinense de Letras, e o edifício sede do Correio Popular, na esquina das ruas Conceição e Dr. Quirino.

 
 


 

Lix da Cunha e sua esposa Nair Valente da Cunha tiveram quatro filhos. Ambos se dedicaram muito à filantropia, e entre as obras assistenciais que contaram com a ajuda de amigos, destacam-se a construção do orfanato Nossa Senhora do Calvário, do Instituto de Menores Dom Nery, da realização da campanha Tudo é Brasil, a construção do Hospital da Criança Paralítica de Campinas, da sede da APAE, dos pavilhões do Hospital Álvaro Ribeiro e dos Patrulheiros, do novo prédio do Lar da Nossa Senhora do Calvário, coordenado pela Madre Cecília, além da creche Nair Valente da Cunha.



O engenheiro Lix da cunha morreu de parada cardíaca em Campinas, no dia 6 de agosto de 1984, e foi enterrado no Cemitério da Saudade.

 


 
 
O busto do Engenheiro Lix da Cunha fica na Avenida Lix da Cunha, na Praça Legião da Boa Vontade.

 

 

Fontes:

 



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário