domingo, 10 de julho de 2016

ESTAÇÃO BOA VISTA VELHA - Um pouco de história




A estação Boa Vista Velha foi inaugurada em 1875, na região antes denominada Fazenda Boa Vista, em Campinas.  A empresa responsável por sua construção foi a Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

 
 
 
 
 
Naquela época, o transporte ferroviário era o principal meio de escoamento do principal produto de comercialização das cidades do interior paulista, o café. Surgiram assim, importantes empresas responsáveis pela implantação e manutenção das vias ferroviárias, como a própria Companhia Paulista de Estradas de Ferro e a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro.

 



Na década de 70 do século XX, na região da Fazenda Boa Vista, onde se situa a Estação Boa Vista Velha, foi inaugurada a empresa da General Electric, que inicialmente se especializou na fabricação de locomotivas. Com a chegada da multinacional, tornou-se mais intensa a movimentação de veículos e pessoas nessa região, onde predominou por muito tempo a atividade agrícola.

 
 
 
 

Em 1972, sob a administração da FEPASA, a Estação Boa vista passou a ser ponto de partida para a variante Boa Vista - Guedes, que passava pela refinaria de Paulínia. Alguns anos depois, das linhas da Boa Vista passou a sair uma linha que uniria essa estação a Mairinque, na antiga Sorocabana.

 



Com o passar dos anos, a atividade ferroviária entrou em declínio no país, e isto fez com que diminuíssem bruscamente as movimentações que aconteciam na Estação Boa Vista Velha.

 

 

Em 1996, mesmo em mau estado de conservação, a estação mantinha funcionários que cuidavam das manobras dos trens da FEPASA, que faziam suas manobras para ir para Mairinque, Rio Claro e Paulínia.


 



Em 2000, a estação já estava abandonada e depredada. As suas operações passaram todas para a estação de Boa Vista-Nova, na variante Boa Vista-Guedes.

 









Em 2011, a estação estava pintada de marrom na lateral e totalmente depredada por dentro, tendo desaparecidos os pisos de madeira. O Andar debaixo, acessível pelo outro lado da estação, estava aparente.

 

 

Em 2016, a velha estação continua em seu estado de abandono. Suas paredes encontram-se pichadas e danificadas. As telhas estão quase destruídas por completo, expondo o interior da construção às ações do tempo. Em seu interior, as paredes também estão pichadas e afetadas por depredações. O piso foi totalmente destruído e há muito entulho da própria construção. 







Há casas derredor que foram construídas na época das atividades da estação, porém a região encontra-se em estado de inatividade, pois circulam poucos trens atualmente. Com a ocupação de algumas terras e o surgimento de novos bairros, como Chico Amaral e Shalon, junto ao surgimento de algumas empresas, hoje se percebe uma frequente movimentação de pessoas e veículos, salvo aquelas que passaram a existir em virtude da presença da multinacional General Electric naquela região.

 



 

 

Fontes:

 
 
 
ALEXANDRE CAMPANHOLA

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário