sábado, 17 de fevereiro de 2018

CURIOSIDADES DE CAMPINAS: O Matadouro Municipal


 
O Matadouro Municipal foi uma construção idealizada pelo arquiteto Ramos de Azevedo no final do século XIX. Sua fundação foi feita pelos senhores Dr. Francisco de Paula Ramos de Azevedo, Francsico Glicério e Bento Quirino dos Santos. Ele situava-se na Vila Industrial, na atual Rua General Lauro Sodré, nas proximidades do córrego piçarrão.
 

 
 
 
Já em 1879, no dia 14 de dezembro, havia sido nomeada um diretoria da Companhia Campineira do Matadouro Municipal composta por Franscico Glicério, presidente; Bento Quirino dos Santos, tesoureiro; Squire Sampson, secretário. E uma comissão de redação dos estatutos formada por João Antônio Bierrenbach, Ramos de Azevedo e Francisco Glicério.
No dia 06 de março de 1882, iniciou-se as obras do matadouro. Neste ano também ocorreu sua inauguração.




A construção do matadouro foi uma reinvidicação da população, pois os animais, criados no meio urbano, eram costumeiramente abatidos nos quintais, ou em ruas e terrenos baldios, e os restos que eram abandonados, atraíam moscas  e outros insetos, exalavam mal cheiro e causavam desconforto. Havia um matadouro, na Casa de Câmera e Cadeia, mas era muito longe para atender, em termos de instalações e serviços, ao crescimento da cidade no tocante do consumo de carne.
 
 
 
 
Por isso, em 1877, a Câmara Municipal de Campinas adquiriu uma chácara nos arredores da cidade, junto a um curso d`água, para construir lá o novo matadouro municipal.
Foi somente em setembro de 1885 que o matadouro começou a funcionar, sendo então administrado pela municipalidade.

 



Este matadouto foi um dos primeiros do gênero construídos no Brasil. Ele fornecia matéria-prima também para o Cortume Campinense.
Por causa do Matadouro Municipal, os moradores da Vila Industrial eram conhecidos como bucheiros.
Era frequente, também por causa do matadouro, o trajeto de bois por algumas ruas de terra da Vila Industrial, levantando poeira no ar e causando barulho e agitação, o estouro da boiada.


O Matadouro Municipal foi demolido na década de 60 e hoje, no local onde funcionava, existe um conjunto habitacional.

 





Quando fui à querida Vila Industrial em busca do local onde funcionou o Matadouro Municipal, minha esperança era encontrar algum vestígio daquela construção, qualquer coisa que pudesse resgatar um tempo em que não existia tantas empreendimentos comerciais, e as pessoas iam comprar as carnes que queriam consumir direto do matadouro.
 
 
 
 
Encontrei uma senhora na Rua Salles de Oliveira, que me pediu para descer a Rua João Teodoro, uma vez que assim chegaria ao local onde um dia existiu o matadouro. Seguindo esta orientação e nada encontrando que pudesse caracterizar o local, aproximei-me de duas senhoras que conversavam na calçada e imaginei que poderiam me informar melhor, já que pareciam moradoras antigas do bairro. E, realmente me indicaram com maior clareza o local, na Rua General Lauro Sodré. Uma delas ainda me disse que comprava carne lá no matadouro, enquanto a outra me mostrou a rua onde o gado passava.
 
 
 
 
 
Até que vi e estive no local indicado, fotografei, mas ainda tinha dúvidas se fora aquele local mesmo onde funcionou o matadouro. Para minha sorte, em uma casa perto, duas senhoras também conversavam na calçada e confirmei com elas. Muito simpáticas, elas contaram-me como era a Vila Industrial na época do matadouro.
 
 
 
 
Contaram que compravam carne no local, que as carnes de sol ficavam penduradas em arames, e era tudo bem limpo. Que sentia pena dos animais abatidos, pois ouvia-se das casas o grito da morte. Disseram-me que era uma construção grandiosa e, apesar das dificuldades enfrentadas pela Vila Industrial naquela época, em termos de infraestrutura e saneamento básico, era uma época muito boa.

 

 

Fontes:

http://blogs.viaeptv.com/blogs/promemoriacampinas/2006/memoria-fotografica-1896-matadouro-municipal/









ALEXANDRE CAMPANHOLA

Nenhum comentário:

Postar um comentário