sábado, 12 de novembro de 2016

ANOS DOURADOS - Parte 4: Bar Ilustrada e Ponto Chic



Bar Ilustrada

O Bar Ilustrada foi uma das grandes opções de lazer das noite campineiras nas décadas de 1980 e 1990, em uma região do bairro Cambuí que ficou conhecida como Setor. O bar foi fundado pelo produtor cultural Camilo Chagas. Através deste bar, Camilo incentivava artistas da cidade de Campinas e região, e dava espaço para artistas novatos e consagrados.



 
Ao longo de dez anos, o Bar Ilustrada foi um das principais casas de entretenimento de Campinas a promover bandas alternativas e de qualquer tendência. Bandas como Os Muzzarellas, Césio 137, Lethal Charge, Bando, Marcílio Menezes, Bons Tempos, grupo Soma, Coral Látex dentre outras, tiveram seu primeiro espaço naquele local.




O público que frenquentava o bar era composto por boêmios, intelectuais, estudantes e artistas diversos. Essas pessoas frequentavam além do Bar Ilustrada outros bares do Setor, como o Bar do Meio, Candeeiro, Scooby, City Bar, Natural, Bacamarte, Paulistinha, Contramão, Zanzibar, Bate-Papinho e Caicó, fundado por Nelson Camargo Júnior, o Zincão.
Localizado no bairro Cambuí, o Bar Ilustrada , Templo do Underground em Campinas, em seus anos de existência também promoveu eventos como Projeto Segunda-Feira, em que músicos que queriam mostrar seu trabalho próprio poderiam se apresentar; o Projeto 2h30, madrugada de sábado, dedicado às bandas de rock Quem tocava Choro podia se apresentar no Projeto Clube do Choro, assim como jazzistas e bluesmen.




Os grupos que se apresentvam naquele espaço renderam ao bar dois LPs, o Ilustrada volume 1, de MPB, com músicas autorais, e o volume 2, da fase roqueira.




O Bar Ilustrada foi fechado em 1995. No final da mesma década, a construção foi demolida após os proprietários, pertencentes à família Penteado Freitas, venderam o espaço.
 
 
 
Camilo Chagas faleceu em 2015 em decorrência de insuficiência respiratória e pneumonia. Ele também foi fundador do bloco carnavalesco Tomá na Banda, uma dos mais tradicionais do Carnaval de Campinas.

 
 
 
 

Ponto Chic

O bar Ponto Chic foi criado em 1965 e teve como primeiro endereço a Rua Barão de Jaguara, 1341. Posteriormente, o bar mudou-se para a Rua Sacramento, 36, na década de 1970, ao lado do Jockey. Era o reduto da nata da boêmia campineira. Era frequentado por jornalistas, advogados, médicos, políciais, políticos, prostitutas, traficantes, etc. Eram comum encontrar bêbados nas primeiras horas da manhã naquele bar, pois suas portas ficavam abertas 24 horas.

Alguns frequenatadores denominavam o bar com certa ironia de “Ponto dos Ps”, pois afirmavam que aparecia qualquer um lá, padres, poetas, políticos, pederastas, periodistas, etc.
 
 
Além de seu estilo democrático para com os frequentadores, alguns traços que caracterizavm o bar era fumaça da chapa de sanduíches e o banheiro dos homens, que sempre era desprovido de iluminação. Acontecia de tudo no Ponto Chic, poetas oferecendo seus livretos mal encadrenados de mesa em mesa, mulheres à procura de companhia, bêbados filosofando, clientes ecléticos que frequenavam o bar até altas horas da madrugada.



Dentre as especialidades que eram servidas no estabelecimento, pode-se citar o sanduíche ferro velho, x-salada, churrasquinhos e, sobretudo, a pizza de queijo provolone no palitinho, que era considerada insubstituível.



No dia 26 de abril de 1991, o Ponto Chic fechou suas portas.

 

Fontes:










 

 ALEXANDRE CAMPANHOLA

Nenhum comentário:

Postar um comentário